15/02/2021
Como será o mercado imobiliário, após a pandemia de COVID-19?

Compartilhe

Estamos praticamente completando um ano de momentos difíceis, nunca experimentados em nossa história recente. A pandemia mundial de COVID-19 bagunçou o já tumultuado cenário econômico/político brasileiro, trazendo muitas mortes, desemprego, criando uma crise sanitária e econômica bastante severa.

Com o início da vacinação, ainda não há unanimidade em relação onde estamos e onde estaremos depois que a pandemia de COVID-19 seja controlada. No entanto, é visível que o mercado imobiliário brasileiro estava iniciando uma RECUPERAÇÃO desde o final de 2019.

Analisar o panorama das fases do mercado imobiliário brasileiro é fundamental para se criar uma compreensão melhor do tema e buscar responder nossa pergunta. Vamos lá?

 

O Ciclo Imobiliário – As 4 Fases

 

Para entender melhor este momento, a figura abaixo mostra as 4 fases do ciclo imobiliário e suas consequências nos negócios observadas no Brasil nos últimos anos.

Figura 1: Fases do mercado imobiliário brasileiro dos últimos 10 anos. Fonte: Lidderar.

 

Na Fase 4 de RECESSÃO, observada no Brasil desde meados de 2014, há um descontrole, resultando em uma oferta elevada e demanda estável ou muito em baixa. Com isto, os preços dos imóveis e o volume de novos empreendimentos lançados desabam. Este é o momento de trabalhar com os estoques e imóveis usados.

Verifica-se que a pandemia de COVID-19 devastou a economia brasileira, principalmente o mercado imobiliário – este que ainda estava em recuperação. Medidas realizadas pelos governos adicionaram elementos que ajudaram o aquecimento do mercado imobiliário. Nesse sentido, normalmente na Política Macroeconômica, surgem políticas fiscais expansionistas como redução dos juros da taxa SELIC e aumento do crédito, para buscar aumentar o faturamento das empresas e o consumo da população. Este movimento levou o Brasil a ter a menor taxa SELIC da história atualmente.

Momentos de crise também faz com que muitas pessoas precisem vender os seus ativos imobiliários para ganhar liquidez, ou receio de tempos difíceis, o que faz surgir excelentes oportunidades de compra por preços muito atrativos.

 

Hoje o mercado imobiliário está como? Conheça a Fase 1

 

Felizmente, o início do controle da pandemia já começou e tudo indica que o mercado imobiliário se tornou um dos melhores tipos de investimentos do país, principalmente com a sinalização dos governos em combater a crise econômica instaurada em todo mundo, além das recentes instabilidades nas bolsas de valores.

Em vez da volatilidade do investimento em ações, muitos buscarão segurança que o mercado imobiliário proporciona. Outro investimento que traz segurança é a Renda Fixa . Porém, com taxas tão baixas, o retorno acaba não pagando a inflação, fazendo com que os investidores percam valor dos seus investimentos.

Com a melhora da economia esperada nos próximos meses e anos, os preços dos ativos tendem a se estabilizar e até aumentar, e com isso novos empreendimentos imobiliários começam a ser lançados. Essa é a Fase 1 de RECUPERAÇÃO. A oferta excessiva disponibilizada na Fase 4 é então absorvida pelo mercado, ficando em equilíbrio com a demanda. Consegue perceber este movimento em sua cidade atualmente?

 

As Fases 2 e 3 de um mercado em alta

 

Os investimentos feitos pelas empresas têm capacidade de aumentar a renda das pessoas, no qual se verifica que os salários, empregos e consumo estão em alta, aliado com uma oferta de crédito mais acessível. Esta é a Fase 2 de EXPANSÃO: a demanda cresce mais rápido que a oferta, tendo em vista que a construção de um empreendimento, leva em torno de 36 meses. Logo, os preços dos aluguéis começam a subir. De acordo com nosso Relatório Imobiliário 2020 (A Figura 2 traz alguns dos índices apresentados), algumas cidades apresentaram aumento tanto nos valores dos imóveis, quanto no preço de locação. Leia mais a respeito clicando aqui.

Figura 2: Cidades com maiores aumentos dos Índices FipeZap em 2020. Fonte: FipeZap.

Com um cenário de crescimento econômico, o setor de serviços sempre vai demandar por espaços comerciais melhores, gerando aumento em imóveis ligados a logística, que gera maior necessidade de infraestrutura e assim por diante. Sem contar que o déficit habitacional do nosso país ultrapassa os 6,35 milhões de unidades, esse movimento demanda uma quantidade imensa de imóveis ainda a serem construídos.

Como o Brasil já passou por momentos de grande crescimento econômico, é verificado, porém que, depois de um certo tempo, a oferta passa a crescer mais rapidamente do que a demanda, resultando em uma Fase 3 de SUPER OFERTA. Com maior dificuldade de o mercado absorver a demanda, o preço do aluguel deixa de crescer, e comprar imóveis prontos tende a ser mais vantajoso.

A economia trabalha em ciclos, e depois da bonança, alguns mercados começam a desacelerar, impactando diretamente o consumo, e os planos de aquisição de imóveis são postergados ou até cancelados, enquanto o acesso ao crédito começa a ficar mais escasso. O excesso de oferta disponível nos leva então para a fase 4 de RECESSÃO, e assim percorremos todo o ciclo sucessivamente. Esse ciclo pode ocorrer com velocidades diferentes e a Figura 1 mostra o último ciclo completo observado no Brasil.

 

Respondendo à pergunta inicial

 

O mercado imobiliário brasileiro foi duramente impactado pela pandemia de COVID-19, com diminuição de negociação de até 50% em algumas regiões, porém a maioria dos especialistas estão otimistas em relação aos efeitos que a crise trouxe e pode trazer daqui para frente.

Entender como se comporta o mercado imobiliário, em qual momento ele está e o que os especialistas estão dizendo, nos auxilia a entender o passado, o contexto atual e futuro para assim, tomar as melhores decisões possíveis.

A LIDDERAR é especializada em trazer valorização e rentabilidade para seus clientes por meio da inovação aberta. Estuda o mercado e suas nuances de acordo com o momento vivido, para sempre buscar o melhor negócio. Qualquer dúvida sobre os temas aqui tratados, por favor, entre em contato conosco que estaremos totalmente disponíveis para lhe ajudar.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *